sexta-feira, 19 de junho de 2009

Catarina


Tá. Passou.

E foi a custa de muito chá de camomila, música boa, dipirona e cineminha.
Que densidade que nada. Exterminador do Futuro - A Salvação.
Quem curtiu lá atrás no anos 80 e 90, o governador da Califórina em seu modelito couro fatal, quem era fã da triologia (excetuando Exterminador 3, que não há de ter um único fã na terra), vai adorar.
Pra mim foi um santo remédio.


Faz um tempo que quero apresentar o novo membro da família (sub-membro, vá lá).
Eu adoro costura, sempre gostei.
Venho de uma família de muitas costureiras. Costureiras de ofício, costureiras de emergência e necessidade, já que no interior comprar roupa feita era coisa bastante rara.
E eu inauguro uma nova modalidade na família (até onde eu sei): Costureira de fim de semana.
Uma das minhas tias diz sempre que costura é um carma. Pra mim é refúgio do coração. É descanso da mente.
E, tal qual as bisas, eu costuro na maioria das vezes à mão. Sem a menor pressa, pontinho por pontinho.
Ocorre que em alguns casos, isso acaba se tornando muito cansativo e doloroso. Enche a mão de calos e furinhos de agulha.
Então, já há algum tempo pensava em me render e adquirir uma máquina para as costuras maiores. Algo muito simples.
Numa loja de máquinas usadas encontrei esta pequena. Solitária, com um móvel baú todo comido de cupim. Com cheiro de madeira mofada, assim descascadinha. Vendida por pouco mais que nada. Mas funcionando.
Ela veio comigo. Fizemos um móvel novo. Minha mãe (a melhor dentre todas as costureiras da família) regulou o ponto e cá está.
Chamei-a Catarina. Porque foi assim que ela se apresntou pra mim e por ser o nome de minha avó que já se foi. Também ela costureira, não das de ofício, a da necessidade mesmo.

Está aí a Catarina. Já em casa. Toda pimpona. E tem sido uma grande companheira.

4 comentários:

Luciana Santos disse...

bem parecida com uma q tenho em casa, q foi de minha avó, uma grande costureira! pena q não costuro nada, rs

Anônimo disse...

Liliane!
seu texto ficou um espetáculo.
e esse dote até então era desconhecido, não o de escrever, o de costurar. quando precisar remendar as calças ja sei onde ir.
bj querida e parabéns pela idéia e pelas palavras.

sergio disse...

oi Lili,
foi eu que fiz o comentário de número dois, é que esse aparelho tem muitas teclas e uma setinha que fica piscando na tela, me confundi e foi sem o nome. mas ja saquei com é que faz.

Ao Leite disse...

Bom, Eu não disse que costuro grande coisa. Só que gosto, hehehe.
Brigadão pela visita, Luciana. ;)

Sergito, que massa tu aqui. Venha sempre. E olha, eu se fosse você procurava alguém mais qualificado pra dar jeito nos seus jeans.