quarta-feira, 11 de março de 2009

Perguntar não ofende


As pessoas morrem. Fato. Mais aqui, mais ali adiante. De um jeito ou de outro. Enfim...

Mas você concorda comigo que quanto mais adiante, melhor?

Tá. Eu estava lendo sobre (mais) uma mulher que morreu devido a complicações de um procedimento estético. Não sei da história dela, da aparência, nada, nada. E tenho claro que há várias variantes nessas histórias. Então nem falemos disso especificamente.

Ainda que a maioria dos finais sejam mais felizes, eu fico cá pensando...

Quase metade dos adolescentes que eu conheço usam aparelho e/ou passaram por cirurgias dentarias. E tudo isso é MESMO necessário? Digo, há uma epidemia de sérios problemas bucais? Ou nossos jovens tem de ter até os dentes idênticos? De onde eles estão tirando essa "necessidade"?


As cirurgias plásticas e outros procedimentos estéticos de impacto semelhante melhoram mesmo a autoestima?

Quando você olha no espelho e não gosta do que vê. Em regra, é o seu reflexo ou seu olhar que precisa de reparos?

O silicone, a lipo, as cirurgias, a levantadinha aqui, a paralisadinha lá... Pra quem fazemos isso?

O que queremos ganhar? O que tememos perder? Qual é o limite? E a mais complicadinha: Resolve?


Imagem: Venus at the mirror - Peter Paul Rubens



2 comentários:

Cristiane Mari disse...

Ameeeiiii...
Corretísimaaa...e
Apoiadíssima...

bjkas

Cris

Ao Leite disse...

Bah Cris, brigadão.
Bjão.