segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Os dois lados da moeda


É, acho que dessa vez o Tite vai. Digo o mesmo que disse quando os dirigentes do Grêmio fritaram o Celso Roth depois de dois anos sem ganhar um grenal: Em se confirmando, trata-se de atitude injusta e burra de uma diretoria em franco desespero. E pior, não vai resolver.
O buraco é mais embaixo, acredito eu. Falta de um tudo ali, mas sobra salto e arrogância. Tirar uma peça do tabuleiro (talvez a única que ainda conserva os pés descalços) me parece uma grande bobagem.
Enfim, nós colorados já conhecemos dias piores. Sigamos.
_________________________

E o Verdão do Oeste jogou no Maraca. Que legal. Pena não estar de folga, teria ido. A maioria do grupo não conhecia o Maracanã. Fico cá pensando o que é pra um jogador de trinta e dois, trinta e três anos, jogando em um time do interior de Santa Catarina, jogar uma partida profissional no maior estádio do mundo.
São muito guerreiros, viu. No jogo anterior, pra jogar contra o Araguaia, viajaram mais de vinte horas de ônibus.
Não sei como chegaram no Rio, sei que perderam de 2X0 pro Macaé, pela série D (mas já classificados pra série C).
Mas fico aqui pensando na sensação íntima de cada um deles fazendo uma preliminar de um FlaXFlu. Imagino o acelerar do coração, a pose ensaiada ao entrar no campo, as fotos que trouxeram e tal... Muito bacana mesmo.



2 comentários:

Flávia D. disse...

A garra que tem de sobra na Chapecoense, falta no Inter.
bjos

Ao Leite disse...

Num é? Bem isso.