segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

No sapatinho

Tá. Chega agora. Vamos matar esse quatí e iniciar de uma vez 2011?
De minha parte digo que não me sobra alternativa nenhuma.
Amanhã (na verdade hoje) tem trampo, continhas pra pagar, uniforme e tênis das crias pra comprar, documentos pra organizar... Enfim, o mundo adulto para o qual eu tenho taaantooo talento.

Curiosidade das férias: Na praia foram vinte dias usando um único chinelinho preto. Esqueci dos calçados. E quer saber? Não fizeram a menor falta.

E por falar em calçado... Namorado diz que tenho obssessão por fotografar pés. Tá certo.
Vasculhando fotos recentes, percebi que dá pra contar a história dessas férias assim:

 Foto no melhor Café da minha aldeia (que, modestamente, tem alguns bons). Ambiente tão tudo de bom que dá pra sentar assim no chão e tomar um capuccino no capricho. Foram várias tardes assim, tão simples quanto inesquecíveis.

Auto-explicativa...

 Praia, né?! Vinte dias na barraquinha, entre a rede e o mar.
Junto das melhores companhias do mundo. Família farofa. Média de ocupação da faixa de areia: 15m².
Verdade que teve dilúvio, mas teve vários dias assim lindos.

E se antes do final das férias a gente tiver a primeira reunião do ano?! Bom, daí se descola um bichinho desses com cara de borracha perfumada da Moranguinho.
Só pra reafirmar aquela promessinha de ano novo de não levar a vida a sério.

2 comentários:

Anônimo disse...

ha que vida dura essa heim,por que será que as ferias passa tão rapido e quando o tempo deveria fazer um favor para os mortais apaixonados,desacelerando as badaladas,la se vai ele tocando cada vez mais rapido pra que saibamos que tempo pra amar nao tem medida e a medida que passa o tempo mais nos amamos,que ferias enesquecível.

Ao Leite disse...

Pq? Porque a vida é assim mesmo, injusta, rsrs.
Que bom que vc tá aqui, também.

:)

Beijos.